Com apenas 22 anos de idade, Rudson Mateus  já é um dos grandes nomes do jiu-jítsu amazonense. O lutador, natural da cidade de Manacapuru, distante 84 quilômetros de Manaus, é mais uma presença confirmada na disputa pela coroa dos médios na Copa Podio Manaus, que irá ocorrer no dia 12 de agosto, às 20h, na Arena Amadeu Teixeira, zona Centro-Oeste da capital.

Apesar da pouca idade, o manacapuruense, recém graduado faixa-preta,  já coleciona títulos impressionantes, além de ser um dos destaques na arte suave pelo mundo. De acordo com Rudson, sua trajetória teve início aos nove anos, em Manacapuru, onde o atleta iniciou seus conhecimentos no jiu-jítsu e desde então não parou mais.

 “Vi meus primos treinando e decidi fazer o mesmo. À medida que ia praticando e competindo, tive a certeza de que me tornaria um profissional dessa área. Aos 15 anos fui morar no Rio de Janeiro para aperfeiçoar o que eu já tinha aprendido e fui ganhando o meu espaço. Desde o dia em que saí de Manacapuru, já se vão sete anos longe da minha família, mas tenho me esforçado diariamente, para que toda essa saudade valha à pena e eu possa deixá-los orgulhosos”, conta o atleta ao relembrar, com orgulho, de sua origem.

Para Rudson Mateus, participar da Copa Podio sempre foi um sonho que, agora, está prestes a se tornar realidade. “Ainda na faixa-marrom, recebi o convite do presidente do evento, Jeferson Maycá, esse ano, quando estava me preparando para lutar o Campeonato Mundial de Jiu-Jítsu na Califórnia (EUA), e fiquei extremamente feliz. Sei da importância desta competição no patamar nacional e internacional, e sinto-me privilegiado em poder fazer parte desta história”, destacou.

Para a guerra dos pesos médios, Rudson tem treinado bastante suas posições favoritas e se dedicado a aperfeiçoar suas técnicas para conseguir vencer os adversários. “Sei que não vai ser fácil e que os competidores tem um nível bastante elevado, mas sou um lutador determinado e minha preparação não será em vão. Além disso, estarei  lutando em casa e não medirei esforços para mostrar o motivo pelo qual o Amazonas é um dos lugares de referência no jiu-jítsu para o mundo”, concluiu.

Foto: Divulgação

Comentários

Comentários