Manaus – Durante dois dias da 21ª edição do Boi Manaus, evento da Prefeitura de Manaus, um total de 81.651 pessoas circulou pela festa que marcou o aniversário da capital amazonense no Complexo Turístico Ponta Negra. O evento reuniu mais de 30 artistas, sete grupos e torcidas, além dos três bumbás da cidade.

Nem mesmo o forte calor espantou o público que quis ir à Ponta Negra neste domingo, 21/10, para participar do último dia do Boi Manaus 2018, em comemoração aos 349 anos da capital amazonense, a ser celebrado no próximo dia 24. Antes mesmo dos trios se posicionarem para dar início ao evento, organizado pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), era possível ver famílias e grupos de amigos por toda a orla aguardando a festa. O público registrado foi de 43.850 pessoas.

Para o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, o Boi Manaus supera as expectativas dos artistas e de quem prestigia a festa. Ele destaca a organização e a segurança como fatores primordiais para a realização do evento.

Artistas dão show

Únicas representantes femininas a puxarem um trio no Boi Manaus, Mara Lima e Márcia Siqueira abriram a festa deste domingo. Vestidas de branco e usando acessórios nas cores azul e vermelho, respectivamente, a dupla aproveitou o momento para homenagear o cantor Luciano Brasil.

“A luta continua porque estar aqui é uma conquista de uma batalha que travamos há anos. Temos mais de 20 anos de carreira e não é fácil estar aqui. Por isso agradecemos a prefeitura e a Manauscult”, disse Márcia. “E é uma honra representar as vozes feminina do Boi-bumbá”, completou Mara.

Klinger Araújo e Fabiano Neves iniciaram suas apresentações cantando toadas autorais. No meio do circuito, surpreenderam o público e desceram do trio para apresentarem o ‘Dabacuri’, uma reunião de tribos. A apresentação contou com a participação do grupo Wãnkõ Kaçaueré, que já atua nas encenações do Festival de Parintins.

O segundo dia de Boi Manaus também contou com uma estreia: Edmundo Oran. O apresentador oficial do Caprichoso foi selecionado para a festa durante o Esquenta. O item 1 do Festival resolveu presentear a galera do bumbá na escolha do repertório, levando ao público as toadas mais animadas e que caíram no gosto da torcida nos últimos anos.

“A gente vem na humildade nessa caminhada, subindo de degrau em degrau e, hoje, estamos aqui, realizando o sonho de todo toadeiro que é cantar no Boi Manaus. Quero agradecer à prefeitura, ao secretário Bernardo, ao presidente do Caprichoso e todos meus fãs”, disse Oran.

David Assayag e Leonardo Castelo foram os últimos artistas no circuito. Cada um puxando seu trio, os levantadores foram acompanhados pela Marujada de Guerra e Batucada e arrastaram inúmeros torcedores em cada trajeto.

O segundo dia de Boi Manaus também teve as representações de Edilson Santana, Carrapicho, Israel e Junior Paulain. Esse último escolheu a festa para anunciar que será pai e recebeu uma homenagem do irmão.

Operação

Para a realização da festa do Boi Manaus, o Gabinete de Gestão Integrada da Prefeitura de Manaus operou com um total de 1.125 servidores por meio das secretarias municipais de Comunicação (Semcom), de Saúde (Semsa), da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), de Limpeza (Semulsp), de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal (Semacc), além dos Institutos Municipais de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) e de Planejamento Urbano (Implurb), da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), da Casa Militar, da Visa Manaus, do Fundo Manaus Solidária e de órgãos como o Juizado de Menores, Corpo de Bombeiros e as polícias Civil e Militar.

Comentários

Comentários