Teresina|PI – Quem acompanhou o sofrimento de Telma Maria Pereira de Andrade, que morreu na última quinta-feira, 08/02, em decorrência de um câncer que estava em estado avançado, com metástase afetando pâncreas, fígado, pulmão e coluna, se emocionou com a atitude de um a cadela da raça boxer chamada de “Belinha”.

Ao ver o dona deitada dentro do caixão ficou sempre perto, vigilante, velando o corpo de sua companheira. A própria família ficou impressionada com a ligação entre as duas.

 

 

Comentários

Comentários