O Comitê Intersetorial, criado pelo Governo do Amazonas para planejar ações de enfrentamento à gripe H1N1, reuniu nesta sexta-feira (01/03) com o Ministério Público do Amazonas (MPE), para apresentar o plano de ação especial montado pelo Estado voltado à prevenção das Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) e da assistência aos pacientes na rede pública.

Na reunião, a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Rosemay Costa Pinto, apresentou os dados confirmados de óbitos por Influenza A (H1N1) e pelo vírus Sincicial Respiratório até o momento no estado e apontou as medidas que estão sendo tomadas para controlar o avanço do vírus na capital e também no interior.  

Foi apresentada, ao Ministério Público, a necessidade de ampliar leitos clínicos e UTIs de retaguarda, medicamentos e insumos de equipamentos de proteção individual para atender os pacientes que chegam as unidades de saúde.

As promotoras de justiça Silvana Nobre Cabral e Claudia Câmara fizeram recomendações ao Comitê Intersetorial quanto a necessidade de reposição permanente de álcool gel nas unidades de saúde pelas empresas de conservação. O MPE também vai controlar, junto com o comitê, a distribuição do Tamiflu aos hospitais da rede privada e às unidades públicas. Outra recomendação foi de que a rede privada deve divulgar fisicamente sobre a gratuidade do Tamiflu em suas unidades.

A diretora-presidente da FVS reforçou que 60 mil comprimidos de antiviral (Tamiflu), enviados pelo Ministério da Saúde, estão sendo distribuídos a partir desta sexta-feira (01/03) para unidades de saúde da rede estadual, municipal e privada, além dos 49 mil comprimidos já disponibilizados pelo estado.

Outra  medidas em execução é a compra emergencial dos kits diagnósticos para acelerar os resultados de exames, reduzindo o tempo de espera de cinco horas para 20 minutos.

Comentários

Comentários