Manaus – Parece que as coisas não andam muito boas para o lado do Amazonino. Após a manifestação dos policiais militares da Associação de Cabos e Soldados (ACS) na tarde de segunda-feira (12) na avenida Torquato Tapajós, agora é a vez dos professores da rede estadual paralisar as atividades. 

No domingo (11), o Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas da Educação Básica de Manaus (SPROMSINDICAL) divulgou uma carta aberta nos grupos de Whatsapp, informando sobre uma paralisação de advertência nas escolas públicas, com objetivo de protestar o reajuste salarial que, de acordo com a categoria, não tem aumento há quatro anos. 

Em nota, o sindicato afirma que tentou negociar com o governador, que não demostrou o menor interesse. “Esperamos que o Governador Amazonino Mendes receba a Diretoria do AspromSindical e apresente uma proposta digna de reajuste salarial para a categoria” diz a diretoria.

Leia o comunicado na íntegra: 

SINDICATO DOS PROFESSORES E PEDAGOGOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE MANAUS-ASPROMSINDICAL.

DOMINGO, 11/03/18.

CARTA ABERTA À SOCIEDADE AMAZONENSE.

É com grande pesar que o AspromSindical vem a público comunicar à sociedade amazonense que nesta terca-feira, 13/03/18, durante todo o dia será deflagrada, pelos Servidores da Secretaria Estadual da Educação-Seduc/Am (professores, pedagogos, merendeiros, vigias, serviços gerais, administrativos e outros) uma PARALISAÇÃO DE ADVERTÊNCIA nas escolas da rede estadual de ensino, na capital e em vários municípios do Interior do Estado.
A PARALISAÇÃO DE ADVERTÊNCIA tem a finalidade de ADVERTIR ao Governador Amazonino Mendes de que a categoria dos educadores não suporta mais 4 anos sem reajuste salarial e estão dispostos a deflagrarem uma GREVE GERAL POR TEMPO INDETERMINADO caso o Sr. Governador não apresente uma proposta de reajuste salarial para a categoria até, no máximo, no dia 13/03/18.
A categoria reivindica 35% de reposição da inflação do período de 4 anos (de 2014 a 2018).
Estamos tentando negociar com o Governo desde o dia 08/02/18 e até agora o Governo não demonstrou o menor respeito pelos educadores.
Desconfiamos que o Governador quer deixar o pagamento de nossa data-base para o mês de abril, quando a lei eleitoral proibirá reajustes salariais acima da inflação. É uma manobra sórdida, pois não permitiria tempo de reação para a categoria garantir o seu direito.
Nós não vamos esperar abril chegar.
A PARALISAÇÃO DE ADVERTÊNCIA será nos 3 turnos de trabalho.
Portanto, pedimos a compreensão e a solidariedade dos pais de nossos alunos para que não mandem suas crianças para as escolas estaduais, no dia 13/03 (terca-feira) e ajude os educadores a conquistarem melhores condições de estudo e aprendizagem para nossos alunos.
Esperamos que o Governador Amazonino Mendes receba a Diretoria do AspromSindical e apresente uma proposta digna de reajuste salarial para a categoria.
Os educadores não querem ser obrigados a fazer GREVE.
Torcemos para que o Governador tenha sensibilidade e não queira PREJUDICAR as crianças do nosso Estado.
Mas, se o Governador permanecer insensível , a GREVE será inevitável.
Os educadores contam com o apoio da sociedade amazonense, neste momento tão grave das nossas péssimas condições de sobrevivência.
Queremos o diálogo.
Esperamos que ele aconteça urgentemente.
Atenciosamente.

A Diretoria.

Comentários

Comentários