Manaus – O compromisso com a austeridade e a melhoria dos serviços prestados à população marcam os principais resultados obtidos pelo governador Wilson Lima ao completar 100 dias de administração. “Desde que assumi, no dia 1º de janeiro, a minha preocupação tem sido, juntamente com a minha equipe, trabalhar de forma austera, baseada nos princípios fundamentais da transparência e da eficiência”, declarou o governador, nesta quarta-feira (10/4), durante coletiva de imprensa, na sede do Governo do Estado, na zona oeste da capital.

A área da saúde, por sua importância para a população e o grave cenário encontrado, foi definida como prioridade. Wilson Lima determinou medidas imediatas para recompor o abastecimento de medicamentos e o pagamento de empresas terceirizadas de recursos humanos. Na Cema, os estoques que estavam em 12%, em janeiro, chegaram em 38% em março e as unidades também voltaram a ser abastecidas. “Nosso objetivo é que até o final desse semestre a Cema esteja 100% abastecida”, disse o governador.

Foram adquiridos 468 itens de remédios e produtos hospitalares em quantidade suficientes para três meses, com investimentos de R$ 39,9 milhões e uma economia de R$ 3 milhões, se comparado com igual período de 2018, a partir da mudança de padrão de itens utilizados nas unidades, revisão que não era feita desde 2010.

“Nos prontos-socorros nós temos um abastecimento de 70% dos medicamentos. Fiz questão de ir pessoalmente às unidades para conferir esses estoques. No caso dos medicamentos que não estão disponíveis nessas unidades, há medicação com princípio ativo que podem ser usados em substituição”, explicou o governador.  

Nos primeiros 100 dias, o Estado priorizou o pagamento de empresas prestadoras de serviços e fornecedores da saúde, sobretudo débitos correntes e negociou os atrasados.

“O pagamento com fornecedores da área da saúde está em dia. Esse é um compromisso que assumimos e estamos mantendo. Desde o dia 1º de janeiro, não há nenhuma empresa ou cooperativa que esteja com salário atrasado”, afirmou Wilson Lima.

Ao mesmo tempo, o Governo trabalhou para ampliar o número de leitos hospitalares, reduzir a superlotação nos prontos-socorros e o tempo de espera por procedimentos cirúrgicos. Foram abertos, entre novos e reativados, 148 leitos e duas salas cirúrgicas, além dos leitos de retaguarda para atender pacientes com gripe H1N1 e vírus sincicial respiratório.

O governador destacou que foram abertos mais 20 leitos no Hospital Delphina Aziz, zona norte de Manaus. “Contratamos, com licitação, um novo administrador para o hospital e UPA Campos Sales. Somente nessa contratação, o Governo está economizando R$ 2 milhões por mês”, explicou Wilson Lima.

O chefe do Executivo Estadual aproveitou para anunciar que os serviços do Delphina Aziz serão ampliados e ainda neste mês de abril, o Governo do Amazonas vai zerar as filas de cirurgia de colostomia, que serão realizadas no local. “Não será mutirão de cirurgia, esse é um trabalho que será realizado permanentemente”, destacou.  

Comentários

Comentários