Garrafas de bebida encontradas no interior do veículo

Manaus – Em um áudio que circula nos grupos do WhatsApp, um homem que seria policial, se identifica como Valcir Maciel e conta que o acusado de fazer os disparos, o tenente Joselito Pessoa, participava de festas com muita cerveja, promovidas pelo major Lurdenilson Lima de Paula, no interior da 18° Companhia Interativa Comunitária (CICOM) e, segundo a gravação, transformando a unidade policial em “um puteiro, um bordel”.

Ouça:

Entenda o caso:

Uma briga dentro de um veículo Voyage, de placas não identificadas, acabou na morte de dois policiais militares na madrugada deste sábado, 05/01, no bairro Colônia Terra Nova, zona Norte da capital. O tenente da Polícia Militar Joselito Pessoa Anselmo é um dos suspeitos de ter atirado contra o sargento Edizandro Santos Lozarda, o cabo Grasiano Monteiro Negreiros,  o major Lurdenilson Lima de Paula o borracheiro Robson Almeida Rodrigues.

Segundo informações preliminares, o tenente Joselito atirou na cabeça do sargento Edizandro que estava dirigindo e perdeu o controle do carro. O outro tiro foi efetuado também na cabeça do cabo Grasiano, que estava no banco do passageiro. Os dois morreram.

O major Lurdenilson também foi baleado na região da coluna. O borracheiro conseguiu fugir e pedir ajuda após uma luta corporal com tenente. Ele desarmou o tenente e jogou a arma para um terreno próximo.

Borracheiro baleado

O tenente foi preso e levado ao 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) na zona Norte. Em depoimento, ele afirmou que um carro, modelo Honda Civic, efetuou os disparos contra o Voyage. Mas a versão dele foi desmentida pelo major e pela perícia.

O sargento Edzandro, da 18ª Cicom, morreu no SPA da Galiléia. Lurdenilson foi encaminhado para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na zona Leste, e corre o risco de ficar paraplégico. O caso está na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Comentários

Comentários