Manaus|AM – O ex-governador José Melo, preso na operação Estado de Emergência, teria pedido de um carcereiro que não quis se identificar, para o mesmo denunciar para diretor do Centro de Detenção Provisória, um surto de escabiose, problema de saúde mais conhecido como sarna, no local.

Melo se ofereceu para pagar essa dedetização, nos pavilhões masculino e feminino, disse o carcereiro. Ele também teria comentado que o período chuvoso registrado no Estado, nos primeiros meses deste ano, pode contribuir diretamente para o surto da doença. 

Melo está preso no Centro de Detenção Provisório Masculino (CDPM) 2 e Edilene para o Centro de Detenção Provisório Feminino (CDPF), ambos na BR-174.

Durante a audiência de custódia em que recebeu do juiz federal Ricardo Sales o direito de deixar o presídio, no dia 26 de dezembro de 2017, o ex-governador afirmou que estava sem dormir e que não conseguia se alimentar.

“É muito carapanã. Todo dia tem que colocar muito Detefon para poder espantar. Não sei se por isso ou a situação emocional que me encontro, eu não consiga dormir à noite. Estou há cinco noites sem dormir. Aí durante o dia eu durmo um pouco. Acho que é por causa do Detefon que fica ardendo meus olhos. Não sei se é isso ou é minha situação emocional, que esse episódio me abalou demais”, disse Melo.

Não seria a primeira vez que Melo reclama das condições dos Centros de Detenção Próvisória (CDP).

“Estou sendo tratado como bandido”, diz ex-governador do AM

Comentários

Comentários