Manaus – O Ministério Público Federal e a Polícia Federal vão investigar a origem da produção e disseminação de fake news contra a campanha do candidato a governador Wilson Lima. A denúncia da coligação Transformação por Um Novo Amazonas foi feita ao MPF e à PF foi feita na quarta-feira (17). Nesta quinta-feira (18), a Justiça Eleitoral deu a 12ª sentença favorável a Wilson Lima, mandando retirar do ar e das redes sociais mentiras envolvendo o candidato.

“A imprensa séria tem papel fundamental no processo [democrático]. Mas existe uma fábrica de mentiras, num momento em que a população não aceita mais a corrupção. O que estão fazendo não é só contra mim, é contra toda essa gente, é contra as instituições, contra a minha família. Eles atacam a minha esposa, os meus filhos. Eu não vou aceitar esse tipo de coisa”, disse Wilson Lima em entrevista coletiva nesta tarde. “Quando eu aceitei disputar o Governo do Amazonas, foi para defender o povo desse estado. Assim como vou defender minha família, vou defender também as famílias do Amazonas”.

Wilson destacou o trabalho feito pela imprensa séria, mas mostrou indignação com as mentiras que vêm sendo divulgadas contra sua candidatura. “Infelizmente tem gente se utilizando de WhatsApp, de blog, de Facebook, de Instagram, pago com o dinheiro que a gente não sabe a origem, para nos atacar. Eles querem continuar o jogo rasteiro da velha política, querem nivelar por baixo. Nós não vamos deixar que isso aconteça”, comentou. “Estão dizendo que eu vou criar bolsa-bandido, que eu vou pagar indenização para as famílias dos detentos que morreram no Compaj. Estão dizendo que a Vanessa Grazziotin seria minha secretária, que eu vou apoiar o [Fernando] Haddad. Tudo mentira, tudo fake news”.

Comentários

Comentários