BNC | Quinto lugar nessa primeira pesquisa, o resultado do senador Omar Aziz (PSD) é considerado um luxo por Durango Duarte, dono da empresa #Pesquisa365, responsável pelo estudo eleitoral divulgado nesta segunda, dia 16.

Isso porque ele sofreu ataques por ter tido o nome citado na operação Lava Jato e por ainda não ter colocado o “bloco na rua”, nem mesmo declarado publicamente que é pré-candidato.

O pesquisador afirma que a coligação que Omar conseguiu formar no fechamento da janela partidária e as articulações para a formação de alianças, com nomes de peso no voto, como Alfredo Nascimento (PR), Pauderney Avelino (DEM) e Silas Câmara (PRB), projetam um cenário favorável ao seu crescimento já na próxima pesquisa da #Pesquisa365, em um mês.

Proporcionais influenciam majoritário

“Essa chapa toda elege cinco federais e um senador. Ninguém vai fazer isso sem chegar à reta final com menos de 20 por cento nas pesquisas. Transfere voto”, afirmou.

Maior tempo de TV

“Se você olhar para o arco de aliança que se enxerga nos bastidores, a coligação dele [Omar] elege cinco dos oito deputados federais e, provavelmente, elege um senador. Olha lá, a coligação do Omar, até onde se imagina, porque pode mudar tudo, … quem é a chapa? Omar e mais dois senadores: Alfredo e Pauderney. Alfredo está em terceiro lugar, mas tem tudo para passar Vanessa. Potencial e estrutura tem. Vai ter o apoio do Arthur [Neto, prefeito de Manaus], que já declarou isso. Tem o DEM, PR e PSD, se o Arthur apoiar essa chapa tem o PSDB. O tempo de TV para governador é de oito minutos”.

 

Comentários

Comentários