Foto: Divulgação

Manaus|AM – Unir a cozinha regional com técnicas da cozinha oriental foi a proposta do chef Hiroya Takano, do restaurante Shin Suzuran, às participantes da Oficina Sabor Solidário realizada na quinta-feira, 29/11, na Cozinha Comunitária da Colônia Oliveira Machado, zona Sul. Para os alunos, todos profissionais de cozinhas comunitários mantidas pela Prefeitura de Manaus e moradores do entorno que trabalham com alimentação, o chef ensinou como explorar a cozinha oriental no dia a dia.

Conforme ele, o tempurá é dinâmico e a mesma técnica pode ser usada em vários pratos, mudando apenas alguns ingredientes, acrescentando temperos, adaptando os molhos e as formas de apresentação. “A comida japonesa possui muitas técnicas. O tempurá é apenas uma delas. Com ele é possível fazer várias coisas, inclusive com ingredientes regionais. Colocando outro tipo de tempero ele pode mudar de tempurá e se transformar em outro tipo de empanado, ajudando as mulheres no empreendedorismo, por exemplo”, indicou.

Animado com o convite para participar do Sabor Solidário, Hiroya falou sobre a possibilidade de trabalhar com as Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs) e incentivou os alunos a aprenderem e empreenderem com a técnica e os ingredientes regionais. Trabalhando com as plantas não convencionais há 13 anos, mas sem “sair da linha da cozinha japonesa”, como afirmou, o chef apresentou o jambu e a urtiga como exemplos de Pancs aos alunos.

“Sempre quis fazer alguma coisa parecida com o Sabor Solidário e ensinar outras pessoas. Já faz 40 anos que tenho restaurante e quando me convidaram para esse projeto fiquei muito satisfeito porque vi nele a possibilidade de fazer o que eu queria e para pessoas humildes, que não conheciam essa técnica. Ela, aliada aos ingredientes regionais, é importante para a cozinha de Manaus e eu estou tão feliz que não consigo colocar em palavras a alegria que estou sentindo”, declarou Takano.

Para a coordenadora da divisão de segurança alimentar e nutricional da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), Cleo Freitas, o Sabor Solidário é uma oportunidade única para auxiliar na capacitação tanto das cozinheiras quanto da comunidade em si.

“O objetivo é que elas busquem, por meio desse aprendizado, melhorar tanto na qualidade da alimentação em casa, com o aproveitamento dos materiais, quanto buscar uma oportunidade de um futuro negócio. As cozinhas ficam em áreas em que observamos a necessidade de uma melhoria no rendimento familiar e a oficina Sabor Solidário é uma oportunidade de ouro”, disse.

Empreender

Empreender é também um dos principais objetivos da oficina Sabor Solidário. Conforme a vice-presidente do Fundo Manaus Solidária, Mônica Santaella, as oficinas estão dando às pessoas de bairros em situação de vulnerabilidade social uma oportunidade de qualificação, de uma melhoria do trabalho que muitas delas já executam, permitindo que a culinária que praticam seja aperfeiçoada e ganhe um diferencial.

“A orientação do prefeito Arthur Neto e da presidente do Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro é que ajudemos as pessoas a terem autossuficiência e, com isso, que elas ganhem mais qualificação, meios de ter melhor renda e, consequentemente, qualidade de vida. No Sabor Solidário eles vão aprender técnicas novas com grandes chefs da culinária amazonense para incrementar o seu negócio, melhorarem seus produtos e virarem, realmente, empreendedores individuais”, resumiu.

Aposentada há quatro anos, Gracie Falcão de Brito, 60, moradora do bairro Santa Luzia, zona Sul, e frequentadora da cozinha comunitária da Colônia Oliveira Machado era uma das mais interessadas em aprender a nova técnica. Ela, que vende salgados para complementar a renda, afirmou que irá colocar em prática o que aprendeu com o chef Hiroya.

“Me viro vendendo salgados para ajudar na minha aposentadoria e tive a grata surpresa de ter essa oficina com esse chef famoso. Aprendi muito com o que ele ensinou e vou colocar em prática para vender mais salgados. Eu gosto muito de cozinhar, de aprender coisas novas e essa oficina foi muito importante para mim porque com certeza vai ajudar a incrementar as minhas vendas”, disse animada.

A oficina Sabor Solidário conta com a participação dos profissionais renomados na área gastronômica da cidade, entre eles, Selma Reis (Zefinha Amazonas), André Parente (Cachaçaria do Dedé), Hiroya Takano (Shin Suzuran), Felipe Schaedler (Banzeiro Comida Amazônica) e Fernando Souza (Alquimia Arte Culinária).

Além do Fundo Manaus Solidária e da Semmasdh, o projeto conta com a parceria da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) e da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

 

Comentários

Comentários